Dia da Mãe

 

No dia dedicado a todas as mães, recorro à palavra poética de um autor natural de Fafe, Daniel Bastos. No seu livro intitulado Terra, Daniel Bastos homenageia a figura da mãe e a maternidade com o poema As mãos da minha mãe.

 

As mãos da minha mãe

 

As mãos da minha mãe

são as mãos de Deus

que me trouxeram à vida.

Mãos de imaculada alvura

cobriram na devida altura

o corpo desnudado,

osso dos seus ossos

e carne da sua carne,

com o manto da ternura.

As mãos da minha mãe,

mãos que embalaram

com desvelo o berço

enquanto desfiavam o terço,

são as mãos diligentes

que nunca me abandonaram.

As mãos da minha mãe

que o tempo silenciosamente

envelheceu

são as mãos eternamente

jovens

que afagam o meu rosto.

 

Terra, CONVERSO – editores e livreiros, 2014